Sábado, 05 Setembro 2020 13:02

EFICIÊNCIA | Estudo aponta que peritos odontolegistas de Roraima elucidaram 98,9% dos casos de óbitos que necessitavam de identificação humana Destaque

Escrito por Sandra Lima
EFICIÊNCIA | Estudo aponta que peritos odontolegistas de Roraima elucidaram 98,9% dos casos de óbitos que necessitavam de identificação humana Levi Matos/Secom

Uma dissertação de mestrado apresentada à Faculdade de Odontologia de Piracicaba, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), apontou que os peritos odontolegistas da PCRR (Polícia Civil de Roraima) solucionaram, no período de 2014 a 2018, 98,9% dos casos de mortes que necessitaram do processo de identificação humana.

Comemorado nesta sexta-feira, 4, o Dia do Odontolegista marca o trabalho de extrema relevância social que estes profissionais realizam.
A diretora do IML (Instituto Médico Legal) e odontolegista, Marcela Campelo, destaca que atualmente a Polícia Civil de Roraima conta com um corpo técnico-científico de sete peritos odontolegistas qualificados, todos pós-graduados, sendo sete especialistas. Destes, seis têm mestrado, quatro têm doutorado e um realizou estágio pós-doutoral.
 “Trata-se de um trabalho delicado e extremamente técnico, realizado, na maioria das vezes, em corpos em decomposição, destruídos ou fragmentados, quando é impossível a identificação pelas impressões digitais”, relatou a diretora.
Além de atuar nas identificações humanas, o odontolegista também pode exercer seu trabalho em perícias criminais de pessoas vivas, as quais incluem: lesões corporais, integridade física, marcas de mordida, além de perícias em foro cível trabalhista ou na área administrativa.
“Nossa demanda é alta e o trabalho não para. Todos os casos de crimes violentos passam por nós para identificação, na grande maioria dos casos sempre bem sucedida. É um trabalho que exige muito conhecimento e que reflete diretamente na vida das pessoas, principalmente daqueles que aguardam aflitos para saber se aquela pessoa é um familiar seu ou não”, relatou Marcela Campelo.

A diretora do IML acrescenta que o odontolegista desenvolve apreciação, perícia e avaliação de eventos periciais que, depois, serão utilizados como prova cabal num processo judicial, auxiliando o magistrado na formação do seu juízo de valor. 
“Nesse cenário pericial, sua atuação busca sempre a verdade real dos fatos”, disse.
O delegado geral de Polícia, Herbert de Amorim Cardoso, parabenizou o excelente trabalho dos peritos odontolegistas de Roraima, destacando que a atuação deles busca sempre a verdade, no estrito interesse da Justiça e da administração.
 “Nós não ficamos atrás de nenhum outro Estado brasileiro, em termos de execução e qualificação do trabalho dos nossos odontolegistas. Nesta data, parabenizo estes profissionais e presto todo o meu apoio e homenagens a estes auxiliadores da Justiça”, concluiu o delegado geral.

Data e profissão

Instituído em 2016, 4 de Setembro foi escolhido pela ABOL (Associação Brasileira de Operadores Logísticos) para comemorar o Dia do Odontolegista e reconhecer a importância da área para a Odontologia. A data refere-se ao nascimento do Prof. Dr. Luiz Lustosa da Silva, considerado o pai da Odontologia Legal no Brasil.
Com base na Resolução nº 63/2005 do Conselho Federal de Odontologia, este profissional tem expertise para pesquisa de fenômenos psíquicos, físicos, químicos e biológicos que podem atingir ou ter atingido o homem, vivo, morto ou ossada, e mesmo fragmentos ou vestígios, resultando lesões parciais ou totais reversíveis ou irreversíveis.