Quinta, 12 Setembro 2019 14:19

MATERNIDADE | Profissionais participam de treinamento para reduzir mortalidade infantil Destaque

Escrito por ASCOM/SESAU
A atividade está entre as cinco ações preconizadas pela Organização Mundial de Saúde A atividade está entre as cinco ações preconizadas pela Organização Mundial de Saúde Eduarda Martos - Ascom/Sesau

Profissionais que atuam durante o trabalho de parto no HMI (Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth) participaram, na manhã desta quarta-feira, 11, do curso de Reanimação Neonatal, cuja finalidade principal é diminuir a mortalidade infantil. A atividade está entre as cinco ações preconizadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

O curso segue as diretrizes do PRN (Programa de Reanimação Neonatal), da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) e Sociedade Roraimense de Pediatria. O treinamento é sobre procedimentos de reanimação, cujo público-alvo é formado por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e demais profissionais que auxiliam durante a assistência ao recém-nascido na sala de parto.

 Conforme a diretora do HMI, Adriana Casseli, o curso é ministrado em nível estadual por pediatras instrutores credenciados pelo PRN-SPSP/SBP e tem a duração de oito horas.

 “A meta é atualizar todos os profissionais do hospital a cada seis meses. Todo pediatra e profissional de saúde deve ter o curso de Reanimação Neonatal em Sala de Parto, porque não sabemos quando iremos nos deparar com um bebê nascendo em condições desfavoráveis”, explicou.

A diretora disse que a falta de habilidade em reanimação neonatal é um problema de saúde pública no Brasil. “Levantamos a bandeira de diminuir ainda mais a morte neonatal. Os materiais utilizados na hora de reanimar são de fácil manuseio e acessível em todos os aspectos, em termos de custos. O que precisamos é organizar a equipe e mostrar a importância das boas práticas de assistência neonatal”, comentou.

Para o pediatra Luis Rafael Carreno, o curso vai servir para salvar vidas. “O curso de neonatal é de suma importância, independentemente de ser pediatra ou não, porque o primeiro minuto de vida para do recém-nascido é essencial para a sobrevivência do bebê”, afirmou.