Terça, 04 Mai 2021 22:38

INTERIOR DE RORAIMA | Combate ao mosquito Aedes aegypti é reforçado nos municípios Destaque

Escrito por Aymê Tavares
INTERIOR DE RORAIMA | Combate ao mosquito Aedes aegypti é reforçado nos municípios Ascom/Sesau

Por meio do trabalho integrado com os municípios, o Governo de Roraima está reforçando o combate ao mosquito Aedes aegypti, principal responsável pela transmissão da dengue, zika e chikungunya, doenças que precisam ser monitoradas e combatidas durante todo o ano.

O trabalho inclui como foco o reforço das ações nos municípios em situação mais crítica para a infestação do mosquito, onde as equipes do NCFAD (Núcleo Estadual de Controle da Febre Amarela e Dengue) realizam a intervenção. No mês de abril, o trabalho foi realizado em São João da Baliza e na próxima segunda-feira, 10, as equipes estarão em Rorainópolis.

De acordo com a gerente do núcleo, Rosângela da Silva Santos, os dados mostram que nos primeiros quatro meses deste ano foram notificados 460 casos de arboviroses, doenças transmitidas pelo Aedes, dos quais, 356 casos notificados de dengue, 85 de chikungunya e 19 registros de zika.

Ainda conforme os dados, nove municípios apresentam baixa incidência de transmissão, quatro mostram média incidência e os municípios de São João da Baliza e Rorainópolis apresentaram alta incidência para notificação da doença, por isso, estão recebendo o reforço das ações nesse momento.

“Precisamos concentrar as ações nas áreas onde existe uma necessidade de atenção maior. Começamos pelo município de São João da Baliza neste fim de semana, onde durante três dias realizamos o trabalho intenso com a identificação de criadouros e eliminação dos ambientes, além da sensibilização da comunidade”, destacou.

As ações são realizadas de forma conjunta com as equipes municipais de cada município, envolvendo diversos profissionais que atuam divididos em equipes, com a utilização de carro fumacê. O foco é percorrer todos os bairros do município, além dos veículos que são utilizados pela equipe de solo com bombas costais, para alcançar as residências onde o acesso é difícil.

“As atividades com os carros fumacê são utilizadas conforme critérios epidemiológicos, com a finalidade de complementar o trabalho diário que as equipes municipais já realizam, mas a melhor forma de se proteger contra o mosquito é prevenir as picadas e manter a residência e as calhas sempre limpas, tonéis e caixas d’água fechados, garrafas sempre viradas com a boca para baixo, lixeiras bem tampadas e ralos limpos, além de semanalmente preencher pratos de vasos de plantas com areia”, esclareceu Rosângela.