Quinta, 11 Julho 2019 21:13

HORTA NA ESCOLA | Escolas receberão incentivos para potencializar produção Destaque

Escrito por MÁGIDA AZULAY KHATAB
Algumas instituições de ensino já usufruem dos produtos cultivados nas hortas; alunos e professores ajudam no cultivo e manutenção Algumas instituições de ensino já usufruem dos produtos cultivados nas hortas; alunos e professores ajudam no cultivo e manutenção Ascom/Seed

Escolas da rede estadual de ensino da capital e também do interior já começaram a trabalhar com as hortas e algumas já estão com a produção a todo o vapor. Em busca de potencializar essa produção e implementar a ação nas demais instituições de ensino, a Seed (Secretaria de Estado da Educação e Desporto) desenvolverá o Projeto Horta na Escola.

Em Boa Vista, as escolas Major Alcides, Antônia Coelho de Lucena, Maria das Neves Rezende, Oswaldo Cruz, Caranã, Dom José Nepote, Olavo Brasil, Diva Lima, além dos Colégios Estaduais Militarizados Luiz Ribeiro de Lima, Luiz Rittler Brito de Lucena e Colégio Militar Estadual Derly Luiz Vieira Borges já estão trabalhando a horta. Algumas estão no processo inicial de preparo da terra e do espaço e outras já usufruindo da própria produção, como é o caso por exemplo da Escola Caranã.

De acordo com a gestora da unidade de ensino, Luzinete Mota, os alunos e professores trabalharam juntos para a confecção da horta. “A horta já existia na escola e este ano estamos dando continuidade ao projeto. Alunos e professores se envolvem com a limpeza, cuidado e recolhimento da produção”, explicou a gestora.

Ela destacou ainda que os alunos têm um tempo reservado para cuidar da horta. Hoje, a escola produz cheiro-verde, pimentão, abóbora, rúcula, limão, macaxeira, tomate, berinjela, maxixe, quiabo, além de plantas medicinais, como capim santo, malva santa e boldo. No interior do Estado, a Escola Estadual Presidente Castelo Branco, em Caracaraí, também já desenvolve um trabalho de produção com hortas.

A Seed, por meio do Projeto Horta na Escola, vai estimular esses plantios, sensibilizando a comunidade escolar quanto à importância da alimentação saudável, empreendedorismo e com a possibilidade de complementação da renda familiar, uma vez que os conhecimentos adquiridos na escola poderão ser implementados nas casas das famílias dos estudantes, fomentando a pequena produção.

Para esta ação, a Seed contará com a parceria da Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), que disponibilizará as tecnologias a serem utilizadas e orientações. A deputada Angela Águida Portela será outra parceira, trazendo a expertise dos Projetos Verde Vivo e Carijó, desenvolvidos anteriormente por ela em algumas escolas do interior do Estado.

A Seed deve começar a implementar o Projeto Horta na Escola já no segundo semestre deste ano.

TEMPO INTEGRAL - As EMTI (Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral) também irão trabalhar o Projeto Horta, porém em uma proposta diferenciada. A Educação em Tempo Integral é um projeto educativo integrado, onde o aluno, além do desenvolvimento intelectual, tem possibilidades diversas de aprendizado voltadas à criatividade, ao empreendedorismo, à produção de arte e valorização de sua história, entre outros, a fim de se tornar um cidadão consciente de seus direitos e deveres.

Dentro dessa proposta da EMTI, a horta aparece como uma unidade curricular (eletiva) a ser desenvolvida por meio de projetos interdisciplinares, dentro da parte flexível do currículo. A sua implementação será de forma sistematizada, com o cumprimento de etapas. A primeira delas será a escuta com a comunidade escolar, professores, alunos e comunidade externa sobre a implementação da horta na escola.

A segunda etapa compreenderá os estudos sobre a importância da horta a partir dos conhecimentos teóricos e pesquisas, incluindo também visitas técnicas em hortas já estabelecidas e em instituições como, por exemplo, a Embrapa. Por fim, a terceira etapa será a parte da execução, ou seja, o plantio e a construção da horta.

“O objetivo dessa atividade, por meio da eletiva, é aprofundar e ampliar a aprendizagem dos alunos, fazer com que possam desenvolver competências e habilidades dentro de aspectos como o empreendedorismo e a iniciação científica. O envolvimento deles com a pesquisa vai fazer com que realizem a atividade com sucesso na prática”, destacou Cátia Maria dos Santos Costa, coordenadora da EMTI.

O Projeto Horta, dentro do contexto da EMTI, busca educar pela pesquisa e também proporcionar aos estudantes a sensibilização quanto à alimentação saudável, aos cuidados com o meio ambiente, a valorização de técnicas agrícolas, o empreendedorismo e senso do trabalho em equipe, por meio de uma aprendizagem colaborativa.

Em Roraima, existem cinco Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral: Maria das Dores Brasil e América Sarmento em Boa Vista; José de Alencar, em Rorainópolis; Padre José Monticone, em Mucajaí; e José Vieira Sales Guerra, em Caracaraí.

No momento, as instituições de ensino realizam a primeira etapa, que é a escuta da comunidade escolar. As demais fases também terão continuidade no segundo semestre de 2019.