GOVERNO DO ESTADO DE RORAIMA

Postado em: Saúde - 17/02/2017 às 15:10
  • HEMODINÂMICA
    Repórter: Secom-RR | Edição: Secom-RR | Foto: Secom-RR



     

     

     

     

     

     

     

     

    O segundo mutirão de cateterismo de 2017 está chegando. A ação inicia no próximo sábado (18) e vai até a próxima segunda-feira (20), no CCDI (Centro de Cardiologia e Diagnóstico por Imagem).  Mas antes, a quinta e sexta-feira (dias 16 e 17) serão dedicados à avaliação clínica de 31 pacientes. Os que estiverem aptos serão atendidos.

     

    O foco é atender a todos os pacientes que aguardam pelo procedimento e para isso é feita uma triagem que avalia se os candidatos estão aptos para realização do procedimento médico.

     

    Neste que será o segundo mutirão do ano, estão previstos 31 atendimentos, sendo três pacientes internados no HGR (Hospital Geral de Roraima) e 28 pacientes externos. Mas caso algum paciente não apresente condições clínicas, será feito o reagendamento para o próximo mês.

     

    Somente este ano, 22 duas pessoas já realizaram o exame; outros quase 200 foram atendidos no ano passado.  “Os pacientes externos, ao ficarem em casa, necessitam ser avaliados novamente para detectar qualquer alteração que possa comprometer o atendimento. Já os pacientes internos, já são acompanhados rotineiramente pela equipe médica”, explicou Fátima de Jesus, diretora do CCDI.

     

    NOVO EQUIPAMENTO - Atualmente o Estado dispõe de apenas um equipamento para atender à demanda de todos os municípios e até de países vizinhos, mas esta realidade vai mudar em breve. 

     

    No primeiro semestre de 2017, a Sesau (Secretaria Estadual de Saúde) deve concluir a instalação de mais um aparelho de hemodinâmica adquirido em 2008 e que, desde então, estava encaixotado, sem nunca tendo sido usado. O equipamento possibilita também a realização de procedimentos como a angioplastia, implante de marca-passo, entre outros.

     

    O equipamento de hemodinâmica utilizado atualmente está em funcionamento há 23 anos e apesar do tempo de uso, supre a demanda e continuará sendo utilizado. Atualmente, são realizados cerca de 40 procedimentos de hemodinâmica por mês e a expectativa é que com o novo aparelho, este número seja, pelo menos, dobrado.