GOVERNO DO ESTADO DE RORAIMA

Postado em: Saúde - 15/07/2017 às 19:27
  • DIA D
    Repórter: JÉSSICA LAURIE | Edição: ALBANI MENDONÇA | Foto: SECOM/RR


    Na segunda-feira, 17, os militares prosseguem com as atividades, a fim de visitar mais 15 mil residências

     

     

     

     

     

    Visando a eliminar os focos do Aedes aegypti nos bairros com maior incidência, o Governo do Estado, por meio do Gabinete Integrado de Gestão Emergencial e em parceria com as Forças Armadas, realizou na manhã deste sábado, 15, o Dia D de combate ao mosquito.

     

    Na ação, que começou às 8h da manhã e terminou ao meio-dia, foram visitadas 16.061 imóveis. Nessa segunda-feira, 17, os militares retornam às ruas, com o objetivo de visitar mais 15 mil residências. 

     

    Durante as quatro horas de mutirão, cerca de 820 servidores do Estado visitaram 11.272 imóveis, nos bairros Caranã, Cauamé, Jardim Caranã e União. Deste total, os agentes puderam adentrar em 8.747 residências e 2.525 estavam fechadas. 

     

    O Exército Brasileiro esteve em 7.314 casas e terrenos, destes 706 estavam fechados. Foram visitadas nessa manhã 77,5%, do total de 20 mil residências, almejado para o Dia D. 

     

    Conforme a coordenadora estadual de Vigilância em Saúde, Daniela Souza, este foi só o primeiro dia de busca ativa para combater os altos índices estaduais de dengue, zika e chikungunya, doenças causadas pelo Aedes Aegypti. 

     

    “Estamos muito felizes com o resultado desta primeira ação que obteve algo em torno de 80% de êxito. Isso mostra que toda e qualquer pessoa pode entrar nessa luta contra o mosquito e ganhá-la”, ressaltou.  

     

    Cerca de 250 militares do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e do Exército Brasileiro, retornam às ruas a partir da próxima segunda-feira para concluir as visitações que seguem até sexta-feira, 21. A expectativa é visitar aproximadamente 30 mil casas até o final das ações. 

     

    FUMACÊ – Ainda no período de 17 e 21 de julho, os bairros com maior incidência do mosquito vão receber oito carros-fumacê e 20 equipes de homens com bombas costais, para fazer a borrifação de veneno para matar o mosquito. 

     

    Conforme a governadora Suely Campos, essa ação subsequente às visitas domiciliares é de fundamental importância para eliminar também os mosquitos adultos. 

     

    Lacen implantará terceiro turno para atender aumento da demanda 

     

    O aumento no número de casos das doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti acarreta também alta demanda dos serviços de saúde. Atualmente, 39% da demanda do Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública de Roraima) são voltadas para a análise de dengue, zika e chikungunya. Por causa desse aumento da demanda, na próxima semana, será implantado o terceiro turno de trabalho no laboratório, que em março deste ano passou a fazer os exames aqui. Antes, as amostras eram enviadas para o Instituto Evandro Chagas, em Belém. 

     

    Além do aumento dos casos dessas doenças, o Lacen está sobrecarregado, porque o município de Boa Vista encerrou as atividades de todos os laboratórios dos postos de saúde.  “As pessoas vão aos postos e o médico não pode solicitar nem um hemograma para avaliar a condição do paciente de forma imediata, então eles acabam se dirigindo para as unidades de saúde do Estado, o Pronto Atendimento Airton Rocha e a Policlínica Cosme e Silva”, disse a coordenadora Daniela Souza.

     

    Nessas duas unidades de urgência e emergência, 80% dos pacientes atendidos são classificados nas cores verde e azul, que são situações da Atenção Básica, cujo atendimento deve ser feito nos postos de saúde.

     

     

    Boa Vista reduz número de equipes de saúde da família e lidera casos das doenças

     

    O histórico de visitação dos domicílios de Boa Vista nos últimos 10 anos mostra que a população cresceu, mas o número de agentes comunitários de saúde não acompanhou essa mudança.

     

    Em 2007, quando a população era de 249 mil, a prefeitura tinha 53 equipes de Saúde da Família, que conseguiram, à época, 73,24% das visitas domiciliares. Em 2014, eram 308 mil moradores e 51 equipes, com cobertura de 56%.

     

    No ano de 2015, eram 314 mil habitantes, 54 equipes e cobertura de 59%. No ano seguinte, 2016, a população subiu para 320 mil e o número de equipes pulou timidamente para 55 e atingiu cobertura domiciliar de 60%. Em 2017, são 326 mil moradores em Boa Vista, com 54 equipes – um a menos que no ano anterior – e cobertura de 58%. O Ministério da Saúde preconiza visitação de 100% dos domicílios.

     

    Até o momento, em Boa Vista foram confirmados 138 casos de dengue; 166 de zika e 1.088 de chikungunya. Em Rorainópolis, 140 de dengue, nenhum de zika e 185 de chikungunya.

     

    Tabela com resultados das ações do dia Dia D:

     

    Instituição

    Bairro

    Imóveis

    15/jul/17

    Visitados

    Fechados

    % Índice de Pendência

    % Imóveis Visitados

    Governo do Estado

    Caranã

    5.016

    3.997

    1.019

    20,31%

    79,68%

    Cauamé

    3.120

    2.268

    852

    27,30%

    72,69%

    J. Caranã

    1.487

    1.190

    298

    20,04%

    79,96%

    União

    1.649

    1.292

    357

    21,65%

    78,35%

    Total

    11.272

    8.747

    2.525

    22,40%

    77,5%

     

     

    OM

    Bairro

    Imóveis

    15/jul/17

    Visitados

    Fechados

    % Índice de Pendência

    % Imóveis Visitados

    C Fron RR/7º BIS (+)

    Jardim Equatorial

    4.148

    3.862

    286

    7,41%

    93,11%

    10º GAC Sl (+)

    Pintolândia

    3.872

    3.452

    420

    12,17%

    89,15%